Cooperativa A Torre ©2017

Dragoeiro

11.03.2017

 

 

”Encontrei uma bolinha muito pequena e pareceu-me uma semente. Plantei com muito cuidado e em vez de nascer uma árvore, nasceu um Dragão. Ele era frágil e muito curioso, tinha um grande coração. Levei-o para a minha escola. Passou o dia na minha sala e ainda não lhe dei nome! Mas vou continuar. Somos iguais. Quando ele chora parece correr um riacho. Conhecê-lo foi a melhor sensação até hoje. Pode não ser parecido comigo por fora, mas por dentro é! Porque em mim também vive um Dragão. ”

Rosa e Maly

4º Ano

Uma Árvore especial

Ah… aquelas folhas de Palmeira,

E o tronco tão frágil…

E aquelas raízes que lembram ladrões…

Às vezes até me assusto!

Como é que uma árvore tão grande;

Pode ser tão frágil?

E como é que uma árvore tão pequena;

Pode tornar-se tão grande?

Bem, árvores são árvores…

Mas esta é uma árvore-Dragão!

Joaquim e David

4º Ano

O Poema do Dragoeiro

A origem da palavra Dragoeiro

Vem da palavra Dragão

Vamos começar a história

De uma grande plantação.

Estávamos nós numa ilha

E decidimos explorar

No cume da mais alta montanha

Vimos um dragão a voar.

A sua beleza era tanta

Voando devagarinho

Que percebemos logo

Que estava a guardar o seu ninho.

Ofereceu-nos um dos seus ovos

Mirando-nos com olhos brilhantes

E nós trouxemo-lo para a Torre

Muito radiantes.

Dizem que deitando à Terra

Este ovo feiticeiro

Uma fresca seiva de sangue

Dá origem a um Dragoeiro.

Espero que para vocês 

Tenha sido de pasmar

Este nosso poema

Que fizemos a rimar.

Manuel A. e Manuel V.

4º Ano

Dragão de Madeira

”Há muito tempo havia uma manada de dragões. Mas vamos falar da história verdadeira. A história começa quando esta árvore deu origem a um Dragão. O Dragão continuou a crescer alimentando-se das sementes da árvore. O Dragão desde pequeno nunca se tinha afastado da árvore. Tratava bem dela e não deixava ninguém aproximar-se. Um dia o Dragão morreu de velhice e a alma do Dragão foi para dentro da árvore transformando-se num Dragão de Madeira. Desde desse dia aquela árvore chama-se Dragoeiro e é a única árvore que tem seiva vermelha como o sangue. ”

Inês e Manuel C.

4º Ano

O fruto do Dragoeiro.

Agradecemos ao Marco, pai da Beatriz e do José por nos ter ajudado a trazer o Dragoeiro para a nossa escola e à Anita que nos ofereceu esta árvore tão rara.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Informação

This entry was posted on 15 15UTC Março 15UTC 2017 by in Uncategorized.

Navegação

%d bloggers like this: